[ editar artigo]

Conheça Eva, um chatbot que ensina sobre o feminismo

Conheça Eva, um chatbot que ensina sobre o feminismo

O universo dos chatbots está avançando e se democratizando e, com isso, a ferramenta também vem sendo utilizada para facilitar o acesso ao conhecimento. Conheça a Eva, um bot para a luta contra o machismo
 

Das ferramentas do Marketing Digital, talvez a que mais impressione as pessoas que não estão tão acostumadas com essa área sejam os ChatBots, que, de maneira bem simplificada, são robôs que se comunicam com os usuários através de diversos meios, especialmente via redes sociais, e aprendem novos termos e definições através de banco de dados e machine learning (inteligência artificial).

Um pouco mais sobre Chatbots

Chatbots podem ser simples ou mais complexos. Os mais básicos, possuem automações pequenas e conseguem interagir utilizando opções de alguns serviços para orientar os clientes em resolver suas dúvidas e/ou realizar algumas ações.

Existem também as versões de chatbots mais sofisticadas, que contam com recursos de Inteligência Artificial (Machine Learning) e, através dela, são capazes de aprender com exemplos de conversas anteriores e são capazes até de integrar as respostas com sistemas internos da empresa.

É bem verdade que o Watson (modelo de robô inteligente criado pela IBM) ajudou a popularizar os chatbots com Machine Learning no mundo todo, porém o custo de programação dessa ferramenta ainda é, para reles mortais como eu e – provavelmente – você, fora da realidade.

Existem também ferramentas de baixo custo, até mesmo gratuitas, feitas para criar robôs conversadores bem mais simples, mas que atendem as necessidades da maioria das micro e pequenas empresas e também de pessoas com causas muito nobres.

Causas como a da Sara Storrer, uma social media de Curitiba que criou a Eva, um chatbot que ensina conceitos sobre feminismo através das mídias sociais, com a finalidade de ajudar mais e mais mulheres na luta contra a discriminação e a dificuldade de acesso à informação qualificada.
 

Veja o que a Sara disse sobre a Eva:

Sara, você é uma pessoa muito engajada com a causa feminista, conte um pouquinho sobre como surgiu seu interesse pela causa.

Meu primeiro contato real com o feminismo foi em 2013, dentro do ambiente acadêmico. Desde então, a maneira como eu me relaciono com a sociedade, com o mundo de forma geral e comigo mesma mudou muito. Depois que você começa o processo que nós chamamos no feminismo de desconstrução - e que nada mais é do que deixar de pensar coisas que são agressivas -, surge uma necessidade de passar isso para frente. Isso acontece porque você se sente mais livre, se vê com mais intensidade e de maneira mais bonita e você quer que outras mulheres se sintam assim também.

Com esse objetivo de transmitir uma nova verdade para mais mulheres, eu acabei participando de alguns projetos legais, principalmente voltados à área de tecnologia. Nos últimos anos participei de mesas e dei algumas palestras sobre a relação entre mulheres e tecnologia, e também sobre ciberfeminismo e o papel das redes sociais na difusão do feminismo na atualidade.

Atualmente, sou colaboradora no site Collant Sem Decote que trata, entre outras coisas, de representatividade de minorias sociais dentro da cultura pop.”.

Como surgiu a ideia de criar a Eva? Qual o seu objetivo com ela?

“Eu sou apaixonada por tecnologia desde que me entendo por gente. Inovação para mim é sempre fascinante e, recentemente, eu fui seduzida pelas infinitas possibilidades de aplicação dos chatbots. Entre várias ideias, surgiu a Eva.

O maior problema do feminismo, em minha opinião, é o fato de ele ser pouco acessível e academicizado demais. A informação não corre com muita facilidade para as camadas de mulheres mais periféricas, que são, justamente, as que mais precisam do feminismo por viverem uma realidade muito mais opressora. Quando consideramos que, no Brasil, mais de 100 milhões de pessoas – incluindo as camadas periféricas - acessam o Facebook mensalmente, é possível enxergar um caminho para que esse conhecimento chegue até elas.

A Eva é isso, uma tentativa de democratização do conhecimento unida à vontade de proporcionar mais liberdade para as mulheres.”.

Quais as suas expectativas de futuro para a Eva?

“Uma característica incrível dos chatbots é que eles permitem criar de forma quase ilimitada. Então, na verdade, você sempre pode planejar novas funcionalidades e aplicações para eles.

Nesse momento, meu sonho para a Eva é que ela atinja o maior número possível de pessoas via Facebook Messenger. Penso também em, no futuro e com mais ajuda, desenvolver um aplicativo para dispositivos móveis, assim, todos poderão levar a Eva consigo e o acesso à informação seja ainda mais fluido e personalizado.".

Na sua opinião, as empresas deveriam investir mais em possibilidades associadas ao uso de chatbots, como você fez com a Eva?

“Eu acredito muito na interação como fator determinante no relacionamento entre cliente e empresa. Acho que as redes sociais desempenharam um papel fundamental nesse processo de identificação entre as duas partes. Agora a vez é dos chatbots.".

Você se lembra de algum case que tenha te marcado ou te inspirado para a produção do seu chatbot?

"Me lembro bem do chatbot que abriu meus olhos: o chatbot usado pela empresa de turismo Kayak. Com ele é possível agir ativamente no processo de compra, pedindo indicações, tirando dúvidas, interagindo de forma complexa.

Nas relações de consumo, o Amanhã é imediatista. O Futuro deseja tudo prático e pra ontem. E os chatbots são uma maneira inteligente, além de absurdamente simples e acessível, de proporcionar praticidade e agilidade para os usuários.”.

Os chatbots estão em processo evolutivo e cada dia ficarão mais inteligentes, mais complexos, mas também mais acessíveis. Hoje já é possível programar chatbots com ferramentas como o ChatFuel e Botsify até gratuitamente, basta ter uma boa ideia, um bom planejamento e muita vontade de inovar!

Redhook
Aldebaran Campos
Aldebaran Campos Seguir

Marketeiro digital, entusiasta de novas mídias, hardcore nacional, MMA e pai da Isa <3

Ler matéria completa
Indicados para você